Como o perfil nutricional pode ser relevante na saúde dos felinos
Como o perfil nutricional pode ser relevante na saúde dos felinos

Como o perfil nutricional pode ser relevante na saúde dos felinos

A qualidade de vida dos felinos está diretamente relacionada com o fornecimento de uma dieta balanceada associada às particularidades nutricionais de sua espécie, sendo que as características do seu comportamento alimentar e do trato gastrointestinal implicam diretamente no aproveitamento e utilização dos diferentes nutrientes.

Dessa forma, a nutrição corresponde a uma ferramenta essencial na promoção de saúde e bem-estar animal ao longo de toda a vida dos gatos, considerando desde suas necessidades como filhote, durante o crescimento, período reprodutivo, ou ainda àquelas atreladas à senilidade (idade avançada), assim como dietas alternativas e coadjuvantes ao tratamento de algumas enfermidades.

A partir da análise tanto da anatomia quanto da fisiologia dos felinos, sabe-se que estes são carnívoros estritos, e em relação à sua anatomia oral, possuem caninos bem desenvolvidos e menor número de dentes pré-molares e molares, refletindo na maior habilidade em rasgar e mastigar tecidos musculares, e menor habilidade para triturar alimentos vegetais mais fibrosos. Por isso, realizam pequenas refeições diárias ao longo do dia, ingerindo o alimento de modo mais lento.

Os felinos necessitam de uma dieta proteica, ou seja, com maiores níveis de proteína na sua composição, em especial devido a maiores perdas proteicas de forma endógena, da elevada atividade das enzimas catabólicas e da ausência de flexibilidade metabólica dessas enzimas frente a situações de menor ingesta do nutriente, e, portanto, menor oferta de proteínas. Além disso, também precisam suprir através da alimentação as
exigências de taurina, ácido araquidônico e vitamina A.

A proteína exerce um papel fundamental no centro de saciedade dos felinos, e portanto deve-se ter cuidado na escolha de produtos de qualidade que preconizem a digestibilidade e disponibilização de proteínas completas. Neste contexto, quando não há o suprimento proteico adequado, observam-se sinais como redução da massa muscular e deficiência imunológica. Em relação aos aminoácidos essenciais, os felinos requerem
maiores teores de metionina, cisteína, taurina e arginina.

Considerando o aminoácido taurina, sabe-se que os gatos não são capazes de produzi-lo em quantidades ideais a partir da metionina e da cisteína, e estes podem ser obtidos de fontes de proteína de origem animal ou sintética, sendo essencial para a manutenção da função cardíaca, visão e reprodução felina. Já em relação à arginina, evidencia-se uma elevada utilização deste aminoácido no ciclo da ureia, e é bastante
encontrada em quantidade suficiente em tecidos de origem animal, sendo importantes, portanto, as refeições específicas para felinos que contenham esses componentes.

Os lipídeos são os principais responsáveis por oferecer energia para a dieta, bem como conferir a palatabilidade dos alimentos e também apresentar outras funções estruturais relacionadas ao funcionamento do organismo. Logo, são importantes para suprir as quantidades energéticas diárias e garantir a obtenção de ácidos graxos essenciais. É também essencial manter o cuidado na ingestão de alimentos ricos em lipídeos para prevenir o excesso de peso prejudicial à saúde do animal.

Os ácidos graxos de cadeia longa, representados pelo ácido linoleico e α-linolênico, precursores das famílias ômega 6 e ômega 3, respectivamente, permitem a produção de outros ácidos graxos poliinsaturados essenciais ao funcionamento adequado do organismo através de processos biológicos como a desnaturação, como por exemplo o ácido araquidônico, o eicosapentaenóico e o docosahexaenóico. Estes constituem uma fonte
precursora dos eicosanóides, sendo principalmente representados pelos leucotrienos, tromboxanos, e prostaglandina, responsáveis principalmente pela deflagração da resposta imune e os efeitos na resposta inflamatória.

Então, além dos ácidos graxos ômega-3 EPA e DHA, encontrados em fontes marinhas e que são essenciais na dieta, os felinos precisam receber por meio da dieta o ácido araquidônico (a partir da ingestão, por exemplo, de ômega-6), pois apresentam ausência da enzima delta-6-dessaturase, que sintetiza este nutriente no organismo.

Enquanto os felinos exigem altos níveis de proteína, eles não possuem uma demanda direta de carboidratos. Porém, sabe-se que a glicose serve como substrato energético para muitas células, sendo fundamental para a saúde do sistema nervoso central, formação de estruturas biológicas e síntese de aminoácidos não essenciais, por exemplo. Já as fibras presentes na dieta contribuem para o bom funcionamento e manutenção do trato gastrointestinal por proporcionar um bom trânsito intestinal e servir como alimento às bactérias benéficas que habitam o intestino, atuando como prebiótico.

As vitaminas também são fundamentais para a saúde geral dos felinos. Dentre as vitaminas lipossolúveis, a vitamina A (retinol) exerce grande influência, atuando na saúde ocular e também como antioxidante. Entretanto, os felinos são incapazes de converter o beta-caroteno em vitamina A, e por isso necessitam provê-la por meio da dieta, assim como também suplementar vitamina D devido à capacidade limitada de promover a conversão da vitamina D em sua forma ativa a partir da radiação ultravioleta, o que é essencial para a manutenção da homeostase do cálcio e do fósforo no organismo. Considerando as vitaminas hidrossolúveis, a piridoxina (vitamina B6), a niacina (vitamina B3) e a cobalamina (vitamina B12), são essenciais para o funcionamento adequado do organismo desses animais, sendo importantes para reações enzimáticas que auxiliam no processo digestivo.

Os minerais incluem desde os macrominerais e os microminerais e estão associados à manutenção de estruturas corporais, equilíbrio osmótico e também na composição de algumas enzimas. No caso do cálcio e fósforo, ambos relacionam-se à manutenção do esqueleto, além de contribuir ativamente para a ocorrência de determinadas reações metabólicas. Logo, é de extrema importância a manutenção de uma
suplementação adequada para cada animal, a partir de uma avaliação criteriosa, de modo a evitar prejuízos, uma vez que a falta pode levar a deficiência dietética.

Portanto, a compreensão da singularidade dos felinos torna-se imprescindível para a formulação de uma dieta adequada, considerando a virtude do seu metabolismo de carboidratos e proteínas diferenciado, advindo de atividades enzimáticas características da espécie, para contribuir para uma vida saudável e nutricionalmente balanceada ao longo de toda a vida do animal.

Referência bibliográfica
KROLOW, Mariana et al. A importância do planejamento nutricional na alimentação de cães e gatos domésticos ao longo de seu ciclo biológico: Uma revisão. 3 ago. Disponível em: https://www.academia.edu/59856300/A_importância_do_planejamento_nutricional_na_alimentação_de_cães_e_gatos_domésticos_ao_longo_de_seu_ciclo_biológico_Uma_revisão. Acesso em: 9 maio 2022.